“Mas eu não pensava em sacanagem nenhuma. Só queria ficar perto dele. No máximo, ficar abraçada com ele. Na mesma cama. Sentindo a respiração.”
“Cara, se você acha que gosta dela mesmo… Abraça forte e cuida, o resto é blá blá blá.”
“E daí que não vai ser fácil? Vai ser muito difícil, e vamos ter que trabalhar nisso todos os dias. Mas eu quero fazer isso, porque eu quero você. Eu quero você para sempre. Você e eu, todos os dias.”
Já tô com preguiça de acordar amanhã. (Fonte: garoto-sex, via h-olding-deactivated20131003)

Já tô com preguiça de acordar amanhã.

“Ela Cerveja, Ele Coca Cola. Ela disco, ele tinta. Ela toca, ele pinta. Ela dança, ele tenta. Ela sorri, ele não aguenta. Ela escandalosa, ele calado. Ela festeira, ele sossegado. Ela quer ir, ele tá de boa. Ela desiste, ele ‘me perdoa’. Ela pontual, ele demora. Ela tem pressa, ele sem hora. Ela espera, ele vai embora. Ela pergunta, ele enrola. Ela desencana, ele peleja. Ela explica, ele boceja. Ela respira, ele fraqueja. Ela entende, ele a beija. Ela ponto, ele porém. Ela forte, ele do bem. Ela do momento, ele do além. Ela ama, ele também.”
“Já digitei uma SMS enorme, e na hora de enviar eu apaguei ela toda. Já liguei para seu número, e quando começou a chamar eu desliguei. Já virei a noite chorando por sua causa, mas também já fiquei tão feliz por sua causa que nem conseguia dormir. Já te odiei tanto, mais tanto, que nem por isso consegui deixar de te amar. Já disse “se cuida” querendo falar “eu te amo”, e já mandei você sumir com o intuito de que ficasse. Já ouvi alguém gritar seu nome na rua, e ainda olhei pra todos os lados pra vê se te encontrava. Já vi filmes, ouvi músicas, assisti seriados só pra poder pensar em você, mas também já odiei tudo isso por me fazer lembrar. Já falei de você, xinguei você, pensei em você, quis matar você… Já fiz isso, fiz aquilo. E sabe de uma coisa? Eu faria tudo isso outra vez.”
“Quero te derrubar da cama em uma guerra de travesseiros.”